• Núcleo Maria da Penha - NUMAPE | UNIOESTE MCR

[Circuito Numape] Irmão do Jorel


Retornamos à nossas sugestões semanais em nosso projeto CIRCUITO NUMAPE indicando a série animada Irmão do Jorel.

Os desenhos animados fazem parte da infância de grande parte das crianças, sendo para elas motivo de diversão. Podemos dizer que os desenhos exercem influência na aprendizagem das crianças, uma vez que estão repletos de signos que se propõem a passar uma mensagem. Por conta disso se faz necessário estar atento aos conteúdos e aos signos que estão chegando ao público infantil.


Irmão do Jorel é uma série animada brasileira que recebeu o Prêmio Quirino 2019 como melhor animação ibero-americana e foi indicada ao Emmy Kids Internacional 2019. Criada por Juliano Enrico aborda conteúdo infantil em que conta a história de Irmão do Jorel e sua família a partir de elementos nostálgicos, metáforas e referências da cultura pop.


O desenho acaba por quebrar estereótipos e expor problemas sociais como machismo, consumo, manipulação midiática e preconceitos a partir do olhar questionador de seu personagem principal com uma linguagem cômica e acessível para o público infanto-juvenil.

Esse é o caso do episódio Fúria e poder sobre rodas, que trata dos estereótipos e dos papéis socialmente construídos sobre o que é ser menina e o que é ser menino. No episódio, Irmão do Jorel está na garupa da bicicleta de Lara, sua melhor amiga, que a conduz de maneira rápida e feroz. Ela propõe que os dois alcancem o arco-íris, mas Irmão do Jorel não aceita e quer ir embora, pois estava com medo de realmente alcança-lo. Nesse momento, Lara o chama de “frangote” e Irmão do Jorel a questiona se com isso ela quis dizer que ele é “uma mulherzinha”. Ela então o rebate dizendo que mulherzinha, na verdade, é quando uma pessoa é incrível.


A partir dessa discussão, os dois passam a debater sobre as coisas que são de menina e as coisas que são de menino. Ao longo do episódio são apresentadas outras questões em relação à rigidez dos papéis sociais de meninos e meninas, demonstrando que quando se trata de infância, as brincadeiras são uma ferramenta para engajar meninos e meninas a romperem com os estereótipos masculinos e femininos.


Irmão do Jorel, nesse sentido, é um desenho que vai além de mero entretenimento, servindo também como uma ferramenta de aprendizagem para crianças e adultos.

0 visualização0 comentário